23.5.18

Casarão


Oi, eu ainda estou aqui
E aqui no meu exílio aprendi a viver
Nunca imaginei que a minha casa fosse tão grande
E coubesse tantos cômodos dentro de mim
É que, é aqui nessa casinha, que remonto a minha mente e realoco meu coração
As pessoas não sabem nada
Acham que eu sumi sem rumo e sem noção
Eles só não entendem que descobri dentro de mim uma imensidão 
Dentro do meu pequeno teto, um casarão 

Ainda tenho tantos cômodos para arrumar
Tantos cômodos a percorrer
A faxina vai ser grande, não tenho tempo a perder
A data pro final ainda não é prevista
Mas quem mesmo quer saber?

Ah, talvez aqueles que pergunte
Meu Deus, há tempos não a vejo...
Ou, que raios está acontecendo?
Essa menina não está comendo?
Há muitos que vão indagar, um ao outro irão perguntar!
Você viu? Você sabe? O que ouve? Eu não mais a vi.

O engraçado é que eles se perguntam
Mas não a mim, a dona da razão
E nesse tempo vou secando, me redescobrindo e me encontrando
Na minha casa, que antes que pequena, agora tanto me acalenta.
É triste saber, que meu tempo nela, pode estar se esgotando
Mas sempre vou guardar nas lembrancas
O meu pequeno casarão, que me escondeu, com todos os seus encantos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

até próxima!
Jhu.